Veteranos Clube – circa 1958 (2)

Imagem

Sede do Veteranos Clube em construção, por volta de 1958. Acervo da família Espagolla.

A imagem acima mostra como estavam as obras da sede do Veteranos Clube de Coelho Neto, por volta de 1958. O fotógrafo estava nos fundos do clube, de modo que podemos ver ao fundo parte da antiga Rua 12 (atual Ouseley) e da Praça Projetada, onde hoje temos a Escola Municipal Monte Castelo e o Colégio Estadual João Baptista de Mattos (Batistão). Mais atrás, uma residência da atual rua Oceânia.

Agradecimentos infindáveis ao amigo Rodrigo Espagolla, que tem cedido diversas fotografias para o acervo da ágina.

Se você tem imagens antigas do bairro e gostaria de cedê-las para publicação, por favor envie para o e-mail coelhoneto.rj@gmail.com ou por mensagem no Facebook em www.facebook.com/cnmemorias. O crédito aos autores e/ou colaboradores será inserido nas fotos.

 

Festa Junina no Parquinho – 1982

Alunos da Monte Castelo apresentam dança na quadra do “Parquinho” em 1982. Acervo pessoal de Denise Rodrigues.

A leitora Denise Rodrigues, a quem deixamos nosso agradecimento, compartilha conosco esta bonita recordação de infância, quando as turmas da Escola Municipal Monte Castelo faziam sua festa junina na quadra do Parque de Recreação Infantil Ana de Barros Câmara, o “Parquinho”. Como a Monte Castelo não possuía quadra própria, era comum usar aquele espaço não apenas para festas, mas também para as aulas de Educação Física.

Ao fundo, o prédio da “Monte”, como era carinhosamente conhecida, ainda com seus tijolinhos vermelhos (atualmente estão pintados de azul). Aquele portão dava acesso direto da escola à quadra do “Parquinho”. E mais atrás também é possível entrever parte do Colégio Estadual Marechal João Baptista de Mattos, o “Batistão”.

É com a sua colaboração que esta página mantém viva a memória do bairro! Envie fotos antigas de Coelho Neto para o e-mail coelhoneto.rj@gmail.com e publicaremos aqui com os devidos créditos.

 

Praça Projetada – circa 1951

Imagem

Praça Projetada e sua concha acústica. Acervo da família Espagolla.

Apresentamos mais uma fotografia gentilmente cedida pelo amigo Rodrigo Espagolla, a quem agradecemos. Podemos ver como era a Praça Projetada por volta do início da década de 1950, quando ainda não havia a Escola Monte Castelo e o Colégio Marechal João Baptista de Mattos.

Na praça, que também abriga a Escola Ana de Barros Câmara, o “Parquinho”, não havia muros. Os moradores costumavam usar o local para praticar esportes como futebol e vôlei. Ao fundo, a Igreja São Jerônimo ajuda a compor essa paisagem que, como muitos leitores já comentaram, remete a uma cidade de interior.

Se você tem imagens antigas do bairro e quer publicá-las aqui, por favor envie para o e-mail coelhoneto.rj@gmail.com ou por mensagem no Facebook em www.facebook.com/cnmemorias.

 

Vista Parcial de Coelho Neto – circa 1951

Imagem

Detalhe do IAPC de Coelho Neto, circa 1951. Acervo da família Espagolla.

Mais uma foto espetacular do acervo da família Espagolla, que mostra boa parte do conjunto residencial do IAPC de Coelho Neto quando este tinha poucos anos de existência. A informação é de que a fotografia foi tirada na época da construção do viaduto de Coelho Neto, o que aconteceu no início da década de 1950.

O fotógrafo parecia estar sobre o viaduto, capturando em primeiro planos as residências da antiga rua 8 (posteriormente rua Taiassu, rua Taiaçu, avenida das Bandeiras e atualmente avenida Brasil), todas em suas configurações originais, com as grades de madeira nas varandas e sem muros. Mais atrás, à esquerda, parte do prédio do Centro Social do IAPC, atualmente Colégio Interativo.

Finalmente, ao fundo e ao centro, a concha acústica da Praça Projetada, terreno que viria a abrigar o “Parquinho” (1955), o Ginásio Pedro I (1965) e a Escola Monte Castelo (1966); e a Igreja São Jerônimo, que se destacava em meio às pequenas residências. Percebam que está escrito a caneta, na base da foto, o nome do bairro com a grafia antiga, “C. Netto”.

Agradecemos ao amigo Rodrigo Espagolla pela generosidade em compartilhar conosco mais esta fotografia. Se você também tem imagens antigas do bairro e quer publicá-las aqui, por favor envie para o e-mail coelhoneto.rj@gmail.com ou por mensagem no Facebook em www.facebook.com/cnmemorias.

 

Parque de Recreação Infantil – 1964

Imagem

Abandono do “Parquinho” em reportagem do Correio da Manhã em 1964.

Menos de 10 anos após a inauguração do Parque de Recreação Ana de Barros Câmara, o jornal Correio da Manhã publica uma reportagem mostrando o estado de abandono do local. A seção “Gerico” do jornal, que visitava bairros e mostrava seus problemas, testemunhou a situação lastimável em que se encontrava o parquinho, com mato alto, janelas depredadas e brinquedos quebrados.

O artigo denunciava: “(…) Para alcançar os brinquedos instalados naquele pátio e que, na maioria, se apresentam danificados, os garotos têm mesmo de enfrentar estòicamente o alto capinzal”. E mesmo naqueles tempos existia vandalismo, conforme relata o Correio da Manhã: “(…) quase que todos os vidros das janelas apresentam-se danificados. Moradores dali disseram ao “Gerico” que não são as crianças que fazem aquêles estragos, mas sim desocupados e maus elementos que se prevalecem da ausência de policiamento em que vive o local”.

A reportagem foi publicada no Correio da Manhã de 20 de março de 1964.

Parque de Recreação Infantil – 1955 (3)

Imagem

Prefeito Alim Pedro posa para foto entre colegiais na inauguração do Parque de Recreação, em 1955.

Continuando a sequência de fotos da inauguração do Parque de Recreação, o famoso “Parquinho”, vemos acima o prefeito do distrito federal, Alim Pedro, entre estudantes na frente do estabelecimento. Ao fundo, a entrada da Igreja São Jerônimo.

Em julho de 1955, a prefeitura deu o nome de “Ana de Barros Câmara”  ao parque, como uma homenagem à mãe do arcebispo do Rio de Janeiro, Dom Jaime Câmara, que havia falecido no mês anterior aos 91 anos.

Ana de Barros Câmara nasceu em Salvador em 11 de janeiro de 1864. Casou-se aos 28 anos com o tabelião Joaquim Xavier de Oliveira Câmara na cidade de São José (SC), onde nasceram seus seis filhos. Ficou viúva em 1908 e foi para o Rio de Janeiro em 1923. Dedicou a vida à religião, tendo sido irmã da Ordem de São Francisco. Percebendo desde cedo a vocação do filho Jaime, encaminhou-o para estudar no colégio dos jesuítas, com a ajuda do cunhado, o Marechal João Pedro Câmara.

Depois de nomeado bispo de Mossoró (RN) e arcebispo de Belém (PA), Dom Jaime Câmara foi designado em 1943, pelo Papa Pio XII, para a Arquidiocese do Rio de Janeiro. Nomeado cardeal em 1946, participou do Concílio Vaticano II e dos conclaves que elegeram os papas João XXIII e Paulo VI. Faleceu em 1971, quando foi sucedido na Arquidiocese por Dom Eugênio Sales.

A imagem é da revista Fon-Fon de 11 de junho de 1955, e faz parte do acervo da Biblioteca Nacional.

Parque de Recreação Infantil – 1955 (2)

Imagem

Crianças se divertem na inauguração do Parque de Recreação, em 1955.

Crianças se divertem na inauguração do Parque de Recreação, em 1955.

Enquanto políticos, assessores, secretários e populares acompanhavam o evento de inauguração do Parque de Recreação do IAPC, em 7 de maio de 1955, a criançada não perdia tempo e se esbaldava nos brinquedos recém-instalados. É possível notar, nesta foto e na anterior, que o muro do “Parquinho” era bem baixo e que havia uma cerca de arame. A rua ao fundo é a atual rua Oceânia.

Algumas crianças olham para a câmera, e nunca poderiam imaginar que estariam sendo vistas pelas pessoas do futuro, ou até por elas mesmas, 60 anos depois.

A imagem é da revista Fon-Fon de 11 de junho de 1955, e faz parte do acervo da Biblioteca Nacional.